É amargo porque atinge até o coração!




“É amargo porque atinge até o coração!” – Jeremias 4.18


De todos os problemas de nosso mundo, o pecado é o assunto mais escuro que devia cativar nossas atenções, mas nos tornamos tão familiarizados com ele ( nos ressentindo apenas dos seus efeitos quando desagradáveis ), que o pecado em si mal nos afeta em nosso caminhar diário. Nós nos tornamos uma sociedade que baniu a ideia de pecado. Nós vivemos em um tempo em que a “igreja” tem banido o pecado de seus cultos...


Nem por isso o Senhor, que o chama de “coisa abominável  que Ele odeia” -  deixa de vê-lo instante a instante como ele de fato o é. Sim, Deus odeia o pecado e mais nada. E não alguns pecados, mas o pecado. E devemos lembrar que o pecado jamais pode ser separado do pecador, ele não é algo que existe fora da existência do pecador.


Deus nunca odiou um ser sem pecado – é impossível. Se o pecado é separado de uma criatura, essa criatura já não tem mais nada a temer! Se o pecado é separado de um mundo, esse mundo já não tem mais nada a temer! Eis a grande notícia da Graça revelada no evangelho.


O pecado não é apenas perigoso – é amargo, e você não pode tentar tratar do amargor do pecado na sociedade quando a sociedade humana ama o pecado. O pecado é amargo e é a fonte abundante de toda a amargura. Por isso o profeta Jeremias usa essa linguagem: “É amargo, porque atinge até o seu coração!” – Ele o chama de raiz da amargura, ele pode ter um sabor doce ao paladar do pecador e de uma sociedade depravada, mas seu amargor é inevitável.


1) O pecado é amargo em sua natureza...

Uma afastamento de Deus, fonte de toda alegria infinita e real.

É oposição a Deus, o doador de todo prazer não pode ser medido.

É rebelião contra Deus, governante justo e santo, que por isso se comprometeu julgá-lo e puni-lo.

É a degradação do homem, que foi feito a imagem do Deus santo e eternamente Feliz!


2) O pecado é amargo em seus efeitos:

Olhe para o mundo – todas as divisões, confusões, guerras, doenças, derramamento de sangue e crueldade... são suas marcas indeléveis.

Olhe para as famílias – Toda a raiva, ressentimento, ciúme, inimizade, falta de amor... são as marcas de suas garras.

Olhe para os indivíduos – todo sofrimento do corpo, todas as torturas da alma, todas as tristezas do tempo, todas as agonias da eternidade – são seus frutos maduros.

Olhe mesmo para os salvos – toda a sua peleja e bom combate, conflitos, dor profunda... são ainda por viverem em combate contra a carne, o mundo e satanás...

De fato cada suspiro em cada peito – mesmo quando Deus se tornou homem e andou no mundo, cada dor no Salvador – foi o pecado.

Todos os gemidos de todos os corações partidos, cama exclamação de angústia humana – tudo fruto do pecado.

O profeta diz que é amargo porque “atinge até o seu coração!” O pecado não é de forma alguma uma ferida na carne, mas uma doença do coração. Lá foi concebido, lá é alimentado, e dali flui.

A conclusão é terrível! Na verdade, o coração do homem é a coisa mais repugnante e poluída no universo de Deus! Sua poluição, a partir do coração, contaminou o universo inteiro. Não há nada tão mau ou abominável na terra ou no inferno – do que esse mau nascido no coração do homem.

Ao chegar ao coração humano o pecado o alienou completamente de Deus. O que fez esse coração não ter qualquer simpatia para com Deus e seu caráter santo. Nenhum desejo de agradá-lo. Nenhum medo de ofendê-lo. O homem tem medo da punição quando devia ter medo do pecado, mas ele o ama.

No coração do pecado não há nenhuma verdadeira paz estabelecida, nenhuma calma santa, nenhuma satisfação tranquila. A paixões turbulentas, consciência contaminada, vontade depravada, entendimento obscurecido. A memória se tornou um porão, um depósito do mal. Na verdade todos os poderes e faculdades da alma foram pervertidos e são erroneamente escravizados pelo pecado.

O pecado ao chegar ao coração, o condenou! Ele não vai ser, ele já está condenado. E se a Graça soberana não o impedir – a sentença de condenação será executada e então o coração se tornará para sempre a sede da agonia terrível, da dor mais torturante, do mais terrível desespero... para sempre!

Jeremias estava certo: “É amargo porque atinge até o coração!” – Essa é a descrição do pecado tão amado pelo homem. É tão amargo que nenhuma língua ou linguagem humana pode descrevê-lo com justiça. E esse amargor está na sede da vida, portanto, contamina toda a pessoa, desvia cada ato, expõe todo homem a ira e maldição de Deus para sempre.

Por causa dele o Salvador nasceu no mundo...

Agora, existe um outro assunto que devia estar em pauta constante na agenda da igreja? Existe um outro problema que devia estar sendo combatida?...

O pecado jamais será parte da agendo do mundo, e quando da igreja resolve segui-la, se torna inútil!

“É amargo porque atinge até o coração!” – Jeremias 4.18





0 comentários:

Postar um comentário

 

Adoração!

Flickr Photostream

Sermões!

C. H. Spurgeon