Schlegel ou Deus, que mente dirige tuas convicções?




A igreja tem sido uma esponja sugando os valores do mundo. Se a nossa cultura é equivocada em sua compreensão de Deus, então será equivocada em sua compreensão de pessoas que são feitas à sua imagem. E isso, na verdade, é o que estamos testemunhando nos pressupostos sobre a natureza humana que são feitos rotineiramente e que são abraçados pela igreja.



Por exemplo, somos moralmente bons. O ar que respiramos em nossa cultura, diz que o mal não existe dentro de nós - ele existe fora de nós. O impulso por trás disto começou com a crença do século XIX que nós poderíamos encontrar a inocência humana e a beleza moral inata nas pessoas que não foi corrompida pela civilização, como as crianças. A criança, de acordo com Schlegel, é "o espelho claro no qual contemplarmos os segredos do amor divino".



Isso soa familiar? Você já ouviu falar da "criança interior"? Pensa-se ser a essência inocente que existe dentro de todos nós.



Agora, fale da corrupção e depravação total da humanidade caída e grande parte dos que se dizem cristãos ficarão do lado de Schlegel e não da Bíblia. Defenderão com paixão a mente de Schlegel em detrimento da mente de Deus.


Soli Deo Gloria!!

0 comentários:

Postar um comentário

 

Adoração!

Flickr Photostream

Sermões!

C. H. Spurgeon